INÍCIOCONHEÇA PADRE PEDRONOTÍCIASAÇÕES E PROJETOSCONTATO
Sala de Imprensa

Você está em: Início  Sala de Imprensa  Padre Pedro debate com municípios…

 Padre Pedro debate com municípios programas para vitivinicultura

Publicado em 09 de Abril de 2021

Todos os anos Santa Catarina compra mais de 10 milhões de quilos de uva de outros estados, especialmente do Rio Grande do Sul. Há quatro anos, uma articulação da cadeia produtiva da uva, em conjunto com o deputado Padre Pedro Baldissera, junto à Secretaria de Agricultura, garantiu recursos dentro do Programa Menos Juros para a implantação de parreirais no Estado. O objetivo é suprir esta demanda e assegurar que estes recursos gerem renda, emprego e movimentação econômica aqui em Santa Catarina.

Agora o número de programas foi incrementado e há outras alteranativas, já acessadas pelas regiões. Com o objetivo de debater esta e outras alterantivas voltadas ao setor, Padre Pedro reuniu-se nesta sexta-feira (9) com secretários municipais da agricultura, representantes da Epagri e de entidades da agricultura familiar e camponesa. As atividades virtuais aconteceram ao longo de março em todas as regiões do Estado e encerraram nesta sexta-feira, com a atividade na região Sul, reunindo prepresentantes de 10 municípios. “Buscamos fazer essa conexão entre todo setor e destacar a importância destes programas, porque garantem recursos com juros subsidiados e, a médio prazo, podem assegurar renda para estas famílias e também garantir que estes recursos da compra de uva em outros estados, e os impostos oriundos deles, fiquem em Santa Catarina”, destacou o parlamentar.

O programa destacado por Padre Pedro cria a possibilidade de financiamento de até R$ 100 mil, utilizando os mesmos critérios do Pronaf, com o juro de 2,5% subsidiado pelo Governo do Estado. O prazo de carência é de 1 ano. Os recursos contemplam a implantação de parreirais e a compra de equipamentos para industrialização do vinho.

Mas há outras possibilidades de crédito, também acessadas pelas regiões, como o Invest Agro (Estado paga o juro até o limite de 2,5 %, o agricultor acessa o recurso no sistema bancário e paga em até 8 anos) e o Fomento Agro SC (financiamento direto com a Secretária da Agricultura, limite individual de 40 mil em até 5 anos pra pagar sem juros).

Avanços regionais

O servidor da Epagri de Urussanga, Edson Borba Teixeira, observa a importância dos programas e destaca a disponibilidade da Instituição em auxiliar os agricultores. A Epagri regional promoveu, inclusive, formações buscando preparar os seus servidores para atender na área da produção de uvas. “É importante que os agricultores busquem esse apoio com planejamento, fazendo o preparo antecipado do solo e encomendando mudas de boa qualidade”, ressalta o técnico. O deputado Padre Pedro reforçou a importância de ter um projeto bem estruturado. “É uma área que pode agregar renda para nossas famílias da agricultura, mas como destaca a Epagri, é preciso pé no chão”, lembra o parlamentar.

Para o diretor da Cresol Tangará, Roberto Bonhemberger, que participou das articulações iniciais voltadas ao crédito para a vitivinicultura, o incentivo é importante para que o Estado avance na ampliação das parreiras implantadas, já que há um déficit apontado de cerca de 500 hectares para que Santa Catarina produza tudo que atualmente consome.

SC pode se destacar ainda mais no País

Santa Catarina é o quarto produtor nacional de uva, com cerca de 50 mil toneladas anuais. Depois da maçã, a uva é a segunda fruta de clima temperado com maior participação em SC. A cultura envolve cerca de 2,2 mil famílias da agriculura e uma área plantada de 3,5 mil hectares. O Alto Vale do Rio do Peixe, onde as articulações envolvendo o mandato, a Cresol Tangará e os municípios de Pinheiro Preto e Tangará iniciaram, em 2008, responde a 60% da produção estadual.

Segundo a Epagri/Cepa, a viticultura está presente em mais de 73% dos municípios catarinenses. Em Santa Catarina, predomina a produção de vinhos de mesa e sucos, mas nos últimos anos houve incremento na produção de vinhos finos nas regiões de altitude, o que está relacionado à tendência de aumento de consumo de vinhos finos no Brasil. Também está crescendo a produção de vinhos espumantes, o que acompanha a evolução de consumo em todo o País. Verifica-se, ainda, importante aumento na produção de suco de uva.


Padre Pedro 13987 - Deputado Estadual © 2021. Todos os direitos reservados.